PÁGINA DA AUTORA MICHELE MACHADO FERNANDES


UM ROMANCE EM CINCO LIVROS

UM ROMANCE EM CINCO LIVROS

 – LIVRO 1 –

O Zé, logo que abriu a sua pequena livraria, devido ao pouco movimento, ficava olhando as pessoas que passavam na calçada. Foi no dia de Santo Antônio que ela, depois de passar várias vezes na frente da livraria com um grupo de meninas do colégio de freiras, com o seu uniforme de saia plissada na cor azul marinho e camiseta branca com um emblema, entrou e perguntou se havia um romance, um livro de amor, uma história inspiradora e intensa, que o vendedor pudesse indicar. Ele ofereceu Tristão e Isolda. Depois se arrependeu. Era uma história muito forte pra uma mocinha jovem e de aparência sonhadora. Ela deixou como pagamento o seu livro Poliana. Dentro continha um cartãozinho rosa com um telefone.

– LIVRO 2 –

Anos depois, ela entrou de novo na livraria. Se vestia com elegância. Saltos altos e meias de seda. Um broche dourado em forma de besouro decorava o vestido. Tinha uma aliança no dedo. Pediu diretamente por Dom Casmurro e deixou o seu Tristão e Isolda como pagamento. O Zé colocou uma rosa dentro do livro sem que ela observasse, mas ela recebeu o livro com o seu habitual lindo sorriso como se soubesse que a rosa se encontrava ali.

– LIVRO 3 –

Entrou ansiosa na livraria depois de muito tempo evitar passar na frente do estabelecimento. Os cabelos desalinhados caíam sobre o seu rosto. Olhou diversos livros enquanto se deslocava dum lado a outro entre as prateleiras quase sem se ater a nenhum título. Estendeu a mão pra pegar Agamênon. O Zé conteve a mão dela com delicadeza e disse já ter reservado A Dama do Cachorrinho. Ela saiu sem ouvir nenhum comentário sobre o Dom Casmurro que ela usou como pagamento, sem qualquer rosa entre as páginas, apresentar muitas folhas soltas. 

– LIVRO 4 –

Ela entrou com semblante triste na livraria. Sem brilho no olhar, a boca despida de batom ou sorriso, as roupas batidas. Nenhum livro na mão pra pagar um novo que acaso comprasse. Percorreu entre as prateleiras e se certificou de que não desejava nenhum daqueles livros. Deu um meio sorriso ao vendedor e se dirigiu até a porta. 

– Espera! – disse ele em tom exasperado – Ainda temos a possibilidade de encontrar o livro certo.

– Ah, não! Nenhum terá final feliz. 

– Se me permite, eu vou te dar o livro que precisas. – E, num passo largo, entrou na sala dos fundos da livraria, onde era o seu escritório. Puxou uma folha da máquina de escrever e uniu a outras logo ao lado sobre a mesma mesa. Correu de volta à loja. Ela ainda aguardava com olhos castanhos esperançosos. – Leva este, por favor, é um livro inacabado que eu mesmo escrevi. Pode me ajudar a construir o final.

Ela deu um sorriso inteiro e se aproximou dele ensaiando um abraço, mantendo certa distância devido à saliência da sua barriga.

– LIVRO 5 – 

Muitas páginas depois, um garotinho de três anos foi junto ao seu pai Zé ao trabalho na livraria. Com alegria, sentado numa cadeirinha, ganhou um livro com encantadoras ilustrações. O pai leu pra ele O Pequeno Príncipe

image23